Um guia para ajudá-lo a escolher seus vinhos australianos.

Publicado em 03/11/2021 por Priscilla Hennekam



Você já se viu perdido em uma loja, com tantas opções de vinhos para escolher, e não tem ideia por onde começar a procurar? Você já comprou um vinho porque alguém recomendou para você e quando você experimentou, você não gostou?

Bem-vindos ao clube "Não faço ideia de qual vinho comprar", o maior clube de vinhos do mundo! Muitas pessoas se sentem como você, quando vão em uma loja de vinhos, e por isso que eu decidi escrever este texto, para tentar guiá-lo na sua próxima compra e ter as informações necessárias para ajudá-lo a tomar sua decisão.

Quando eu não sabia nada sobre vinho, eu me guiava por recomendações de outras pessoas ou procurava por pontuações de vinho, e estou tão feliz que isso já não faz parte da minha vida, porque meu paladar naquela época, não era nada igual aos jurados e críticos de vinhos.

Deixe-me explicar por que...

Por que os vinhos feitos de Shiraz, Chardonnay, Riesling, Sauvignon Blanc e outras uvas têm um gosto tão diferente, mesmo quando vêm do mesmo país?

A Austrália tem um clima quente em comparação com as regiões da Europa, no entanto, é verdade que todos os vinhos feitos na Austrália têm um teor alcoólico alto e com frutas muito maduras? Em termos gerais, eu diria que sim, no entanto, a Austrália tem muita liberdade em fazer seus vinhos, em comparação com as regras e regulamentos da Europa. É muito divertido descobrir as formas criativas que os enólogos fazem vinhos na Austrália.

Os clássicos são os vinhos tintos de Barossa e McLaren Vale da uva Shiraz, que são mais propensos a serem vinhos ousados, com frutas maduras, com uma boa concentração e intensidade de frutas e taninos robustos, no entanto, você pode encontrar também vinhos tintos muito elegantes na Austrália. As regiões de vinhos aqui, são influenciadas pelo oceano, pelos ventos, pela altitude, pelo aspecto (a direção das videiras) e etc. Significa também que você pode encontrar muitas uvas diferentes, como por exemplo: Shiraz, Pinot Noir, Chardonnay, Riesling, Semillon e etc...

Para lhe dar uma explicação rápida, algumas regiões terão influências mais frias como Yarra Valley, Adelaide Hills, Mornington Peninsula, Tasmânia, etc. Essas regiões produzem uvas com um ciclo curto, o que significa que as uvas plantadas nessas regiões, amadurecerão antes de outras variedades de uvas. Lugares com condições mais frias farão com que as uvas amadureçam mais lentamente do que lugares com clima quente. Por que? Pela simples razão de que nas regiões quentes, o sol é mais forte, e as videiras se comportam como nós em um dia quente, elas transpiram como nós e precisam de mais água como nós depois de um dia muito quente. Luz, calor e água são os ingredientes para a fotossíntese, que produz açúcar para as uvas, por isso, quando está mais quente, o açúcar aumenta mais rapidamente nas uvas do que as uvas que estão em um ambiente mais frio.

O processo de fermentação transforma açúcar em álcool, então mais açúcar nas uvas, significa que mais açúcar será fermentado e teremos mais álcool no vinho. Vinhos com maior teor de álcool, geralmente se sentem mais quentes e exibem sabores de frutas maduras, e essa combinação de concentração de álcool e frutas, contribui para a percepção do corpo do vinho, fazendo com que esses vinhos pareçam mais encorpados do que os vinhos plantados em regiões mais frias.

Pinot noir é uma uva que é melhor plantada em climas mais frios, porque tem um ciclo curto e aumenta os níveis de açúcar muito rapidamente em um clima quente, perdendo acidez muito rápido, antes mesmo de ter a chance de desenvolver os sabores e amadurecer os taninos. No entanto, em um clima mais frio esse processo de aumento de teor de açúcar na uva é mais gradual, dando um equilíbrio mais fino, entre taninos, acidez e sabores. Esses vinhos geralmente são mais baixos em álcool e dão a percepção de que a fruta é mais fresca e elegante e levando você a concluir que é um vinho de uma estrutura média. 

Agora que você entende por que algumas uvas crescem melhor em algumas regiões do que em outras. Vamos dar-lhe um guia simples sobre regiões, uvas e estilos de vinhos que você irá encontrar, e espero que isso seja útil para você, quando for comprar seus próximos vinhos. 



Barossa Valley e McLaren Vale: Famoso pelo vinho Shiraz encorpado e com taninos robustos. Essas regiões também são famosas pelo GSM (que é o corte de Grenache, Shiraz & Mourvèdre) e Grenache, que geralmente é colhida mais cedo e feita em um estilo de vinificação que inclui menos extração de taninos e cor e com menos influência de carvalho, produzindo vinhos mais leves.

Em McLaren Vale você encontrará novas variedades italianas, como Sagrantino, Fiano, Sangiovese e etc..

Eden Valley e Clare Valley: Famoso pelo Riesling, Cabernet Sauvignon & Shiraz, que é um pouco mais leve que os de Barossa & McLaren Vale, exibindo mais vivacidade e frescor.

Margaret River e Coonawarra: Famosa pela uva Cabernet Sauvignon na Austrália, geralmente Margaret River fazem corte de Cabernet Sauvignon com outras variedades de Bordeaux, como por exemplo; Merlot, Malbec e etc. Por outro lado Coonawarra tem focado em poderosos vinhos varietais com apenas a uva Cabernet Sauvignon. Esses vinhos geralmente são fantásticos para os amantes de vinho que adoram vinhos com potencial de guarda, porém lembre-se das condições necessárias para manter seu vinho na sua adega por um longo tempo.

Quanto às uvas brancas de Margaret River, minha recomendação é Chardonnay. Eu sou apaixonada pelo Chardonnay desta região, vinhos brancos encorpados são feitos aqui. Brancos leves como Sauvignon Blanc (muitas vezes em um blend com Semillon) também são vinhos que se destacam.

Tasmânia: Eu confesso que depois do Diploma WSET, eu me tornei uma amante de vinhos espumantes, Hahaha. Esta região é com certeza a minha recomendação para um grande exemplo de espumante da Austrália. Na minha última viagem à Tasmânia, também provei ótimos Pinot Noir, Chardonnay e até mesmo elegantes Shirazes.

Yarra Valley, Mornington Península e Adelaide Hills: Essas regiões têm uma influência mais fria, o que é perfeito para uvas de ciclo curto, como mencionamos antes. Chardonnay e Pinot Noir são as estrelas destas regiões; no entanto, alguns bons espumantes são feitos aqui também, além do Sauvignon Blanc de Adelaide Hills ser um dos vinhos mais sensacionais da região.

Rutherglen: Famosa por vinhos fortificados, e você encontrará os vinhos australianos mais ícones desta categoria aqui. Eles também fazem vinhos de uma uva específica chamada Durif, que são vinhos tintos, encorpados, com taninos firmes e uma ótima concentração de frutas.

Hunter Valley: Semillon é o rei aqui, o estilo preferido geralmente são vinhos sem barrica de carvalho, com um longo potencial de envelhecimento - é por isso que Semillon de Hunter Valley é parte do sonho de tantos amantes de vinho. Além disso, Shiraz é feito aqui com muito sucesso, porém esta região é mais quente do que as outras regiões, por isso as vinícolas geralmente colhem as uvas mais cedo para reter a acidez, fazendo que os vinhos sejam mais refrescantes e por isso que muitos Shiraz aqui serão ligeiramente mais baixos em álcool do que o Shiraz feito em Barossa, por exemplo.

Riverland e Riverina: Essas regiões são ótimas fontes para os amantes de vinho que estão procurando vinhos com preços mais baixos, aqui temos uma grande variedade de uvas, como por exemplo: Chardonnay, Riesling, Shiraz, Cabernet Sauvignon e etc.

 

Espero que este guia o ajude a se sentir mais confiante na próxima vez que você se encontrar em uma loja de vinhos, e que você seja capaz de comprar o que exatamente você está procurando, no entanto você sempre pode me procurar para pedir ajuda extra. Sempre estamos dando dicas nas redes sociais, temos também um podcast sobre a Australia: Wine Soundtrack e um Youtube Channel: Winederful. E oferecemos o único curso de vinhos australianos no Brasil: Expert em Vinhos Australianos. -Priscilla Hennekam | Hotmart